sábado, 31 de outubro de 2009

Especial Halloween #11

E chegamos ao fim deste nosso especial. A obra que encerra esta pequena rubrica é Halloween (1978), de John Carpenter.

Em 1978, John Carpenter (acabado de sair do seu êxito Assault on Precinct 13) escreveu e realizou esta obra que seria um marco do terror. A ideia era relativamente simples: um assassino em série matava adolescentes na pequena cidade de Addonfield, na noite de Halloween.
Esta premissa simples foi magistralmente idealizada por Carpenter, criando um filme que seria incontornável e impulsionador do 'Slasher Film', género que consiste num assassino matar várias pessoas das formas mais violentas (e criativas). Halloween consegue ainda uma outra proeza: ser um 'Slasher Film' sem recorrer a violência (apenas no início), nunca mostrando o acto violento e deixando o espectador imaginar. O realizador consegue criar (e aqui está um dos pontos fortes da obra) um ambiente assustador e sombrio, com uma realização fenomenal e uma banda-sonora arrepiante. E, claro está, Carpenter revelou ao mundo Jamie Lee Curtis que, depois deste filme, tornou-se a rainha dos gritos, sendo protagonista de diversos 'Slashers' logo depois.
Um filme obrigatório e um dos melhores filmes de terror de sempre.

Trailer:


Para concluir este nosso Especial Halloween:
Esperamos que tenham gostado desta pequena incursão pelo cinema de terror. Deixámos várias obras de fora mas que não foram, de forma alguma, esquecidas: os clássicos da Universal Studios, outras obras de Dario Argento, Mario Bava, Wes Craven, John Carpenter, Alfred Hitchcock (Psycho e The Birds, verdadeiros clássicos!), entre outros. A nossa ideia consistia em referirmos algumas das mais importantes e influentes obras do terror, especialmente no cinema dos últimos 50 anos. Demos grande destaque a obras de grande culto mas queriamos também destacar verdadeiros clássicos do género e do cinema em geral. Muitas ficaram de fora mas serão mencionadas e comentadas numa outra ocasião. E agora, um bom resto de Halloween...

Ter em conta... The House of the Devil, de Ti West (2009)

The House of the Devil é uma nova obra de terror que tem sido alvo de elogios nos Estados Unidos (86% nos Rotten Tomatoes), não pela sua originalidade mas sim pelo seu aspecto retro e um respeito pelo género do terror filmado nas décadas de 70 e 80. O filme estreia no próximo fim-de-semana nos Estados Unidos e está disponível em Video On Demand. Por cá ainda não tem data de estreia (infelizmente, deverá ir para DVD, se não permanecer inédito entre nós) e poderá ser uma excelente surpresa. Mais tarde, daremos mais informações sobre The House of the Devil.
Em baixo deixamos os dois magníficos posters, que têm um aspecto bastante anos 80.

Trailer:

The Road, de John Hillcoat - Novo trailer

The Road é um projecto bastante aguardado que tem sido adiado por algum tempo. Começando a marcar presença nesta nova temporada de prémios, o filme tem agora um novo trailer. Viggo Mortensen é o protagonista. Ao seu lado temos Robewrt Duvall, Charlize Theron e Guy Pearce:

Especial Halloween #10

Hoje trazemos o penúltimo filme deste especial. Trata-se de The Shining (1980), do mestre Stanley Kubrick.

Baseado numa obra de Stephen King (que não gostou do filme e, a meio da década de 90, produziu um mini-série com o mesmo título), The Shining é uma verdadeira obra-prima do terror e do cinema. O terror claustrofóbico, o uso do som e música para criar um ambiente desconfortável, um Jack Nicholson lunático e genial, uma realização perfeita e cuidada e sequências que ficaram para a história, esta incursão pelo terror feita pelo mestre Kubrick é um dos mais importantes filmes do género. Um clássico e obrigatório.

Trailer:

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Especial Halloween #9

O nosso Especial Halloween está perto do fim. Mas até lá, temos mais três obras fundamentais para referir. Hoje o filme é o clássico da Universal Studios, Frankenstein (1931), de James Whale.

Estreado em 1931, logo após o estrondoso êxito de Drácula (com o grande Bela Lugosi, mais uma obra fundamental do cinema de Terror), a Universal continuou o seu êxito com este Frankenstein. Com o magnífico Boris Karloff como a criatura defeituosa, James Whale cria um conto fantástico de terror e fantasia, onde o verdadeiro monstro é o ser humano. Apesar de alguma polémica (a criança afogada) o filme tornou-se um clássico imediato do Terror e do cinema. O seu êxito abriu portas para o superior The Bride of Frankenstein, que começa exactamente onde este termina. O filme teria novamente James Whale como realizador e Karloff regressaria como a criatura que o imortalizou para ser. Obrigatório!

Trailer:

Paranormal Activity poderá estrear entre nós em Dezembro

De acordo com o site Ante-Cinema, o filme-sensação do momento nos Estados Unidos será distribuído pela Ecofilmes e poderá estrear em Dezembro entre nós (a 3 ou a 10 de Dezembro).

Acaba por ser uma boa notícia pois é um sinal de que poderemos conhecer o filme muito em breve e perceber a razão de tanto buzz. No entanto, há um aspecto negativo: o filme poderá ter pouca divulgação entre nós, ser visto pelo público em geral como mais um filme de terror, especialmente estreando numa época mais competitiva e recheado de filmes apelativos, o que pode fazer com que passe completamente ao lado do público, o que seria algo lamentável, já que aparentemente estamos perante uma obra que merece ser descoberta. A ver vamos, o destino de Paranormal Activity no nosso país.

Avatar, de James Cameron - Trailer final

Hoje é o dia em que podemos finalmente ver o épico trailer final de Avatar, a nova incursão de James Cameron pela Ficção Científica. São 3 minutos e meio de imagens novas, que aumentam as já gigantescas expectativas. O filme estreia a 17 de Dezembro entre nós, estreia mundial.

Especial Halloween #8

Hoje trazemos mais um mestre italiano: Mario Bava e o seu Sei Donne Per L'assassino (Blood and Black Lace, de 1964).


Trata-se duma obra clássica (tais como outras do mestre como The Whip And The Body e Black Sabbath), onde temos um assassino impiedoso que persegue modelos e mata-as.
O realizador utiliza cores fortes na obra e sequências violentas, que influenciaram cineastas futuros (como Dario Argento, por exemplo). Tal como o seu sucessor Argento, Mario Bava mistura o 'Gore' com o 'Giallo', onde cria um mistério do género 'Woddanit' e consegue, com esta (e outras) obra, marcar um género. Bava é considerado um dos pais do 'Gore' (tal como Hershell Gordon Lewis) e tornou-se um cineasta essencial do terror e um realizador bastante influente, cujo cinema ainda inspira muitos.

Trailer:

Invictus - de Clint Eastwood - Trailer

Hoje foi apresentado o trailer da nova obra de Clint Eastwood, Invictus. Ainda esta semana foi-nos revelado o poster e agora temos as primeiras imagens deste filme que poderá ser uma presença forte nos próximos Óscares.

Trailer:

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Especial Halloween #7

O sétimo filme desta nossa rubrica é o clássico Suspiria (1977), do mestre do terror italiano Dario Argento.

Dario Argento cria uma obra fantástica, com um inacreditável uso das cores, acompanhado de cenas violentas, um mistério cativante e uma banda-sonora marcante. O cineasta apela a vários géneros que ele próprio ajudou a popularizar: o terror à italiana (bastante inspirado nas obras do mestre Mario Bava) e o Giallo, a história policial onde temos sempre um assassino impiedoso e uma investigação pelo meio.
Argento traz-nos com este soberbo Suspiria um verdadeiro clássico do género, uma viajem pelos sentidos, extremamente visual e com uma realização exemplar. Um filme obrigatório.
O remake americano entra em produção em 2010.

Trailer:

The Green Zone, de Paul Greengrass (2010) - Trailer

Matt Damon e Paul Greengrass, a dupla por detrás dos últimos excelentes capítulos da trilogia Bourne, reúnem-se neste The Green Zone, um thriller de acção que estreia nos Estados Unidos em Março. Pelo aspecto deste primeiro trailer, poderemos ter aqui um exemplar filme de acção, como Greengrass já nos habituou com The Bourne Supremacy e The Bourne Ultimatum.

Trailer:


Aproveitamos e deixamos o novo trailer de The Men Who Stare At Goats, com George Clooney, Ewan McGregor, Jeff Bridges e Kevin Spacey:

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Especial Halloween #6

A obra de hoje é um marco incontornável do género de Terror. Trata-se de The Texas Chainsaw Massacre (1974), de Tobe Hooper.

Baseado em acontecimentos verídicos, Tobe Hooper (que, anos depois, viria a realizar para Steven Spielberg outro clássico do género, Poltergeist) escreveu e realizou esta obra perturbadora e violenta sobre um grupo de jovem que cai nas mãos duma família louca, onde um dos membros é um homem mascarado com uma moto-serra, vilão que ficou imediatamente imortalizado. Estreado em 1974, o filme foi banido de vários países e serviu de inspiração a várias outras obras importantes. Em 2006, foi alvo de um remake (produzido por Michael Bay) que, apesar de ser mediano, não faz jus ao filme original. Uma obra essencial mas que não agrada a todos.

Trailer:

Sherlock Holmes - Novo poster

O filme de acção e aventura de Guy Ritchie estreia entre nós a 31 de Dezembro.

domingo, 25 de outubro de 2009

Especial Halloween #5

O nosso quinto filme é An American Werewolf in London (1981), o clássico de John Landis.

Distribuído no mesmo que The Howling, esta obra marcou também o género de terror. Landis, um realizador mais conhecido pelas suas comédias, traz ao espectador uma hábil mistura de terror com comédia, como pouco se tinha visto até então. Tudo apresentado com uns efeitos especiais fantásticos e um argumento bem conseguido. Acabamos, assim, por ter um clássico do filme de lobisomens e um verdadeiro filme de culto que teria uma sequela (de pobre qualidade) na década de 90: An American Werewolf in Paris, com Julie Delpy.

Trailer:

sábado, 24 de outubro de 2009

Especial Halloween #4

Hoje entramos no território dos lobisomens (hoje e amanhã, para ser mais preciso). O filme que apresentamos hoje neste Especial Halloween é The Howling (1981), um clássico do terror, realizado por Joe Dante (Gremlins).

O filme, estreado numa altura em que o terror estava na moda (os filmes de John Carpenter, o sucesso de Friday, the 13th, o slasher movie em alta, etc.), tornou-se numa obra de culto e uma referência no que diz respeito a filmes de lobisomens. Uma das protagonistas, Dee Wallace (mãe de Elliot em E.T. - The Extraterrestrial, de Steven Spielberg), tornou-se numa actriz de culto dentro do género de terror (Peter Jackson usou-a no magnífico The Frighteners, um filme que já ganhou estatuto de culto, e a actriz entrou no remake de Halloween). Com efeitos especiais bem conseguidos, The Howling antecedeu uma outra obra sobre lobisomens, que acabaria por ser um marco do cinema de terror e uma outra referência dentro do cinema de lobisomens. Falamos de An American Werewolf in Paris, de John Landis, o nosso filme de amanhã.

Trailer:

Mad Max vai regressar!

Esta semana conrifmou-se que George Miller vai finalmente regressar à personagem Mad Max, depois de vários anos de rumores e incertezas. O título será Mad Max: Fury Road e o filme terá um orçamento de 100 milhões de dólares, obtidos de forma independente, sem apoio de estúdio algum.

No entanto, não ficou confirmado se Charlize Theron e Tom Hardy (as preferências do realizador) vão participar no projecto. Em princípio, as filmagens começam em inícios de 2010. Mel Gibson, no entanto, não vai regressar. Há uns meses atrás, o actor afirmou que não faria mais a personagem, devido à sua idade.

Saw VI derrotado - Era uma questão de tempo

Este fim-de-semana estreia o novo capítulo daquela que é a saga de terror mais bem sucedida dos últimos anos. A saga Saw vai para o seu sexto filme e os produtores já planeiam ir até ao oitavo filme.
Contando sempre com estreias de cerca de 30 milhões de dólares, os filmes são sempre produzidos de forma barata e sempre pagos no fim-de-semana de estreia. Apesar das receitas baixarem sempre (o segundo rendeu cerca de 87 milhões e o quinto ficou-se pelos 56 milhões), os filmes são sempre lucrativos.
A nível de crítica, as opiniões têm piorado com cada filme que estreia. Mas agora, tudo está prestes a mudar para a saga Saw.
A nível de crítica, o inesperado aconteceu: uma boa parte tem sido positiva, sendo uma grande melhoria sobre os últimos capítulos (está, neste momento, nos 42% nos Rotten Tomatoes), tendo a segunda melhor classificação da saga. Mas a nível de bilheteira, as coisas estão a piorar: esta Sexta-Feira, Saw VI rendeu uns fracos 7 milhões (o filme anterior fez 14 milhões) e vai para um final de cerca de 16-18 milhões.

Isto vem a provar que a saga já está desgastada e que começa a perder o seu público (e já ter chegado a seis filmes é obra, hoje em dia, para uma saga de terror). Os filmes anteriores desiludiram fãs e eram repetitivos, com twists narrativos ilógicos e forçados.
Saw VI foi também prejudicado pelo factor Paranormal Activity. Esta nova obra de terror, de baixíssimo orçamento, aumentou o número de salas para quase 2000 e conquistou o primeiro lugar na Sexta-Feira, fazendo mais de 7 milhões, indo a caminho dos 20-22 milhões. O filme já conta com 40 milhões de dólares de lucro e vai rumo aos 100 milhões.

Paranormal Activity está a tornar-se um fenómeno cultural, daqueles que já não se via há muito tempo (um dos últimos casos foi o semelhante Blair Witch Project, exactamente dez anos atrás). O público tende a aumentar de semana para semana, a estratégia da Paramount em distribuir o filme tem sido eficaz, o 'buzz' tem sido enorme, as críticas (algumas exageradas, considerando o filme mais assustador de sempre) foram excelentes e o filme está a caminho de ser um dos mais rentáveis na história do estúdio. E, pelo caminho, faz prejuízos (o remake da Sony, The Stepfather, teve uma estreia modesta), sendo a maior Saw VI.

A Lionsgate planeava estrear Saw VII em Outubro de 2010 (como sempre), no formato 3D. Mas agora, poderá repensar a situação. Apesar de tudo, Saw VI não será o flop que muitos vão dizer que é. O filme tem um orçamento baixo (talvez 15 milhões), será pago no fim-de-semana de estreia, ainda tem o fim-de-semana de Halloween pela frente (que poderá dar uma ajuda) e deverá ficar pelos 35 milhões, 40 milhões, uma descida considerável mas ainda rentável.

De qualquer forma, Saw VII irá estrear em 2010, decerto. O formato 3D tem sido bastante rentável (e o género do terror tem sido exemplo disso, com My Bloody Valentine 3D e Final Destination 3D a serem êxitos de bilheteira) e isso poderá dar um impulso à saga.

Concluindo, isto já seria de esperar: surgir algo que desse um empurrão a Saw. E a altura chegou, finalmente.

Especial Halloween #3

O nosso terceiro filme deste especial Halloween é A Nightmare on Elm Street (1984). O clássico de Wes Craven (que já nos havia trazido outras excelentes obras como Last House on the Left e The Hills Have Eyes) apresentou ao mundo uma personagem do cinema de terror que ficaria para a história: Freddy Krueger (Robert Englund). O filme marcaria também a estreia dum jovem Johnny Depp no cinema.

Comentário:
Em 1984, Wes Craven decidiu pegar no misterioso tema dos sonhos e usá-lo para criar um filme de terror. Craven consegue criar uma obra fantástica, original, com um ambiente que serve o tema usado e com sequências que marcariam o género de terror. Pelo caminho, criou Freddy Krueger, um vilão cinematográfico que ficaria famoso, através do seu humor satírico, frases conhecidas ('Welcome to primetime, bitch', do terceiro filme) e com uma aparência que ficou reconhecível dum dia para o outro (especialmente as garras). E revelou Johnny Depp ao mundo.
Devido ao seu sucesso, foram criadas 6 sequelas (das quais apenas a terceira e sétima partes seriam interessantes) e um cross-over com outro monstro do terror (Jason Vorhees de Friday, The 13th) em Freddy VS. Jason. Em 2010, estreia o inevitável remake, produzido por Michael Bay.
A Nightmare on Elm Street é uma obra fundamental no género do terror e conta com um dos melhores monstros do cinema.

Trailer:

Trailers de Season of the Witch e Wolfman (2010) e anúncio de página Facebook

Os olhos mais atentos decerto já reparam que o Movie Wagon já está disponível no Facebook. A página ainda está na sua fase inicial e esperamos contar com o apoio dos nossos visitantes. Isto para dizer que ontem, colocámos na nossa página o teaser de Season of the Witch (terror gótico com Nicolas Cage e Ron Perlman) e o segundo trailer de Wolfman, o remake do clássico da Universal.
Sem mais a dizer, aqui deixamos os trailers destes dois filmes (ambos lançados de propósito nesta época de Halloween), que estreiam em 2010.

Teaser de Season of the Witch:


2º trailer de Wolfman:

The A-Team - Primeira imagem oficial

Em 2010, a Fox estreia a versão cinematográfica da série de televisão The A-Team. No elenco temos Liam Neeson, Bradley Cooper, Sharlto Copley (District 9), Quentin Jackson, Jessica Biel e Patrick Wilson. O filme está agora em produção e estreia em Junho do ano que vem.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Especial Halloween #2

Continuamos com o nosso especial Halloween, que terminará no dia 31 de Outubro.
O segundo filme deste especial é Evil Dead (1981), de Sam Raimi. O filme tornou-se uma obra essencial do terror (juntamente com as suas duas sequelas) e é um dos grandes filmes de culto de sempre, tendo servido de influência a muitos outros cineastas, através da sua história e da sua realização invulgar e frenética.

Vamos apenas falar do primeiro filme, apesar de Evil Dead 2 ser outra obra essencial, que bem figurava neste especial (tal como Dawn of the Dead e Day of the Dead, as sequelas de Night of the Living Dead, o filme a inaugurar este especial). Amanhã regressamos com um comentário a este clássico e revelaremos o terceiro filme deste especial.

Comentário:
Um grupo de amigos vai para uma cabana no meio do mato. Lá, começam a ser 'visitados' por espíritos malignos que desejam controlar as suas almas, de forma a soltarem um mal maior no nosso mundo.
Com uma premissa algo simples, Sam Raimi conseguiu criar um dos mais originais e hilariantes filmes de terror. Misturando violência com humor negro, tudo auxiliado por uma interpretação brutal (porque não usa duplos, já que o orçamento reduzido não permitia tal) de Bruce Campbell (hoje um dos grandes actores de culto devido, em grande parte, ao seu hilariante Ash). A realização de Raimi é bastante inventiva, utilizando planos invulgares mas extremamente bem conseguidos, conseguindo criar o clima perfeito para o filme. Uma das grandes valias desta obra é o facto de que toda ela respira orçamento baixo, algo que dá um certo 'sabor' à experiência. Evil Dead (e as suas sequelas) são um marco do cinema de terror e um dos maiores filmes de culto de sempre.

Trailer:

Invictus - de Clint Eastwood - Poster

Hoje surge o poster da nova obra de Clint Eastwood. O filme, protagonizado por Morgan Freeman e Matt Damon, estreia nos Estados Unidos em Dezembro. Aqui fica a imagem e a promessa de mais notícias sobre o regresso do último realizador clássico americano.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Especial Halloween #1

Hoje damos início a este especial Halloween. Cada dia apresentamos uma obra de terror que tornou-se um clássico do género, criando um fenómeno de culto e que acabam por ser obras influentes.
Serão 10 obras de terror, todas importantes e cuja herança ainda hoje é visível.
Damos início a este especial com Night of the living dead, o clássico de George A. Romero. Depois desta obra, os zombies vieram para ficar (e estão cada vez mais na moda) e Romero conseguiu ainda influenciar jovens realizadores, com projectos bem baratos e distribuídos de forma independente.
Night of the living dead, de George A. Romero (1968)
Comentário:
Night of the Living Dead retrata um grupo de sobreviventes que escondem-se numa casa, cercada de zombies. A noite que se aproxima revela-se uma luta pela sobrevivência.
Filmado com um orçamento bastante reduzido, o filme revela ser uma crítica à sociedade da altura e aos comportamentos humanos (os verdadeiros monstros acabam por ser os vivos). George A. Romero consegue evitar bastantes lugares comuns com esta sua obra de estreia, criando um anti-herói falhado (Duane Jones, numa personagem que comete erros que podem custar a vida de todos), combate tabus (Duane Jones, um homem de côr, é o suposto heróis do filme, algo impensável na altura) e marca o género de Terror, com uma obra sombria, muitíssimo bem filmada, com uma fotografia invulgar.
Um dos maiores filmes de culto de sempre e um dos melhores filmes de terror da história do cinema. Uma obra imperdível.

Trailer:

Toy Story 3 - Posters de personagens

Como já sabemos, Toy Story vai regressar aos cinemas. Os dois primeiros filmes vão ser relançados nas salas de cinema em 3D (já aconteceu nos Estados Unidos, com bons resultados de bilheteira) e, em Junho de 2010, o terceiro filme vai marcar presença no grande ecrã. Já temos dois trailers do filme e temos estes posters de personagens. Em baixo deixamos os dois protagonistas.

Os restantes, podem ver aqui.

Legion - Posters de personagens

Legion trata-se dum filme de acção passado numa Terra que foi destruída por um Apocalipse bíblico. Um grupo de sobreviventes que viajam num camião são a única esperança, numa luta contra o mal. Dennis Quaid e Paul Bettany são dois dos protagonistas. O filme estreia em Janeiro nos Estados Unidos e está aqui o link para os diversos posters de personagens. Em baixo, deixamos Paul Bettany e o seu anjo Michael.

O trailer já circula na net e, em breve, daremos mais informações sobre o filme.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Six Feet Under, de Alan Ball - Season One (2001)

Após a morte do pai de família (Richard Jenkins), os restantes membros vão ter de superar a perda e enfrentar as dificuldades como uma família. Isso seria uma tarefa mais fácil se esta não se tratasse duma família totalmente disfuncional, com vários problemas pessoais e profissionais. O negócio da família, uma agência funerária, está em dificuldades, servindo de mote à série sobre esta família difícil mas extremamente divertida de acompanhar.
Alan Ball, argumentista de American Beauty e criador de True Blood, cria uma série de comédia negra, com várias doses de drama, tudo servido por fantásticas histórias, excelentes diálogos, personagens cativantes e interpretações memoráveis (destaque especial para Peter Krause, Michael C.Hall e Rachel Griffiths).
Six Feet Under é a história desta família e das dificuldades que enfrentam, um conto sofre perda, amor, medo, controvérsia e fugir de estereótipos.
Uma das grandes séries da década, com selo da HBO.

Em breve, falaremos sobre a segunda temporada.

Lost - Final Season - Teaser Poster

Hoje apresentamos o primeiro poster para a sexta e última temporada de Lost, que estreia em Janeiro.O desenho do poster regressa a um dos posters da primeira temporada. No entanto, aqui encontramos todas as personagens essenciais da série e temos um pormenor interessante mesmo no meio das personagens (e mais não se diz). A expectativa aumenta...

Novos trailers: Sherlock Holmes; Mary and Max; How to train your dragon; Dear John

Hoje trazemos quatro trailers novos, começando com um dos blockbusters deste Natal.

Sherlock Holmes, de Guy Ritchie, é uma reinvenção do mítico detective inglês. O filme, protagonizado por Robert Downey Jr., promete ser um espectáculo de acção. Ao lado de Downey, temos Jude Law, Rachel McAdams e Mark Strong. Entre nós estreia dia 31 de Dezembro:


Agora temos Mary and Max, uma animação que tem sido bastante bem recebida pelos festivais pelos quais passou. Philip Seymour Hoffman, Toni Collette e Eric Bana são três dos actores que dão as vozes:


How to trai your dragon é uma das apostas da Dreamworks no campo da animação para 2010. O estúdio, para além de estrear Shrek 4 no Verão, ainda vai dedicar o seu tempo a esta aventura sobre um rapaz com um dragão. Fica aqui o teaser:


Dear John é um drama romântico baseado num livro de Nicholas Sparks, autor de The Notebook. Lasse Halstrom é o realizador e os protagonistas são Amanda Seyfried, Channing Tatum e o sempre excelente Richard Jenkins. O filme estreia em Fevereiro nos Estados Unidos:

E o filme desta noite é...

Zodiac, de David Fincher (2007)
IMDB

Trailer:


Comentário:
Baseado no assassínio do Zodíaco que aterrorizou São Francisco nas décadas de 60 e 70, David Fincher cria, a partir do livro de Robert Graysmith, um tenso thriller dramático.
Fincher aborda pela segunda vez o tema dos assassinos em série. No entanto, esta obra é exactamente o oposto a Seven, o brilhante thriller do realizador. Em Seven, seguíamos uma dupla de detectives que resolviam o caso dum assassino inteligente e meticuloso, tendo o espectador sempre o ponto de vista dos detectives
Em Zodiac, temos vários pontos de vista: os breves momentos das vítimas, os breves momentos do assassino (e assistimos aos crimes, algo que não acontecia em Seven), temos o cartoonista e o repórter e ainda a dupla de detectives que seguem o caso. Fincher optou por fazer o oposto do que fizera com Seven, o que resultou muito bem.
O argumento está fantástico, dando ao espectador grandes momentos de cinema, relembrando os thrillers da década de 70 (os antigos logótipos da Warner e da Paramount no início do filme são uma óptima entrada nesta viagem ao passado) e com interpretações fabulosas por parte dos actores e uma fantástica realização de Fincher.
Outro dos trunfos da obra é a forma como o tempo flui (como escrevi antes, é uma viagem ao passado): atravessamos vários anos, sempre a seguir o caso das várias perspectivas e sempre com as personagens que conhecemos desde o início do filme. Assistimos aos anos a passarem e como o caso alterou e afectou os envolvidos. Um aspecto muitíssimo bem desenvolvido, numa obra obrigatória, que é um dos melhores filmes de 2007. Uma verdadeira pena ter sido esquecido nos Óscares.
Zodiac é um drama épico sobre uma investigação longa e cansativa e mais uma prova do génio que reside em David Fincher.

Primeiras fotos de John Carpenter's The Ward

Depois de oito longos anos sem realizar uma longa-metragem (a última foi John Carpenetr's Ghosts of Mars, em 2001), o mestre do terror regressa ao cinema com este The Ward. No elenco temos Amber Heard (Pineapple Express; The Informants) e o filme, produzido de forma independente, não tem distribuidora e data de estreia marcada.
Estas primeiras fotos não revelam nada, apenas confirmam o regresso do cineasta. O filme, ainda em produção, irá estrear em 2010.
Deixamos aqui o link para as imagens (que já foram removidas de alguns sites).

domingo, 18 de outubro de 2009

O regresso de Mel Gibson

Depois de ter protagonizado Signs, de M. Night Shyamalan, e ter participado em The Singing Detective (inédito nos nossos cinemas), Mel Gibson afastou-se das câmaras e dedicou-se à realização.
O actor agora está a regressar à representação e o seu regresso dá-se com Edge of Darkness, um thriller de Martin Campbell (Casino Royale), ao lado de Ray Winstone (antes era Robert De Niro mas complicações surgiram e De Niro saiu do filme). O filme estreia no final de Janeiro nos Estados Unidos.


Trailer:


Esta semana, a Warner Bros. decidiu lançar o trailer e o poster do filme, apresentados em baixo.
Aproveitamos para dizer que Gibson já está a filmar o seu outro filme como actor, um drama cómico realizado e protagonizado por Jodie Foster.

O regresso à normalidade

Como os nossos visitantes repararam, nestes últimos dias o Movie Wagon não foi actualizado. Falta de tempo foi um dos grandes motivos, infelizmente.
No entanto, o nosso espaço vai agora regressar à normalidade. O semanário vai regressar no próximo fim-de-semana, ainda esta semana vamos dizer de nossa justiça sobre a primeira temporada de Six Feet Under (começa assim um pequeno espaço nosso dedicado a séries de televisão, onde encontramos um outro tipo de qualidade, cada vez mais parecida com a do bom cinema), vamos mostrar os trailers mais recentes e já estamos a elaborar a nossa lista dos piores filmes de sempre (de acordo com o Movie Wagon). Daqui a umas semanas, será apresentada e será aí que falaremos, finalmente, do novo Plan 9 From Outer Space, o fime The Room, de Tommy Wiseau, um verdadeiro prodígio do cinema mau (que revela-se tão divertido). Ainda estamos a pensar em mais algumas coisas frescas para o blog. No entanto, também estamos aqui para sugestões. Podem deixá-las na zona dos comentários.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

E o filme desta noite é...

Ghost, de Jerry Zuker (1990)
IMDB

Trailer:


Comentário:
Sam e Molly são um jovem casal feliz, cujo amor não parece terminar. Depois de Sam ser morto no que parece ter sido um assalto, o seu espírito permanece na Terra, de forma a proteger Molly. Apercebendo-se de que a sua morte não foi acidental, Sam recorre a Oda Mae Brown, uma psíquica falsa que é a única que o ouve.
Ghost é realizado por Jerry Zucker, mudando aqui muito de registo (co-realizador de Aeroplain e The Naked Gun) e o filme foi um êxito estrondoso de bilheteiras, apresentando uma mistura de drama, romance, comédia e thriller, tudo com um toque sobrenatural. Patrick Swayze está competente no seu papel (sabendo que é um actor limitado, nunca chegando a exagerar), Demi Moore compre a sua função e Woopy Goldberg (vencedora do Óscar de melhor actriz secundária) é o elemento cómico do filme, conseguindo roubar todos os momentos em que entra.
Ghost acaba por ser um bom entretenimento, um daqueles filmes que é difícil não se gostar minimamente. Não é nenhuma obra-prima, é óbvio, mas conseguiu encontrar um lugar na história, como um êxito inesperado e, se formos a ver, bem merecido. Um guilty pleasure de muita gente.

Novos trailers: Toy Story 3; The Expandables; Me and Orson Welles; The Messenger; The Imaginarium of Dr. Parnassus

Hoje temos uns trailers novos para apresentar.

Começamos com o novo trailer de Toy Story 3. O filme estreia em Junho de 2010 nos Estados Unidos (entre nós é em Agosto) e já é considerado um dos grandes êxitos do ano que se aproxima. Os seus filmes antecessores foram recentemente lançados nos cinemas americanos, em 3D, e têm sido um êxito de bilheteira. Tudo a abrir caminho para esta terceira parte, que conta com o regresso de Tom Hanks, Tim Allen e Joan Cusack:


Agora temos o trailer de The Expandables, o filme de acção escrito, realizado e protagonizado por Sylvester Stallone. Ao seu lado temos Jason Statham, Jet Li, Dolphe Lundgren, Arnold Schwarzenegger, Bruce Willis e Mickey Rourke. Um verdadeiro desfilar de estrelas de acção novas e antigas, nu8m filme que promete ser uma autêntica dose de testosterona. Estreia em Agosto nos Estados Unidos (antes estreava em Abril mas foi adiado pela Lionsgate):


Me and Orson Welles é o regresso de Richard Linklater à realização. Zac Efron é o protagonista, aqui num papel mais dramático, numa tentativa de perder a imagem de menino bonito de High School Musical. Nas mãos de Linklater, poderá ser possível. Estreia em 2010:


The Imaginarium of Dr. Parnassus é o novo trabalho de Terry Gilliam e é conhecido por ser o filme em que Heath Ledger trabalhava quando morreu. Para o substituir, vieram Johnny Depp, Colin Farrell e Jude Law. O filme estreia entre nós em Fevereiro:


The Messenger é um drama com Ben Foster e Woddy Harrelson (que está a ter um excelente ano, com este muito bem recebido The Messenger, com o grande êxito de público e crítica Zombieland e com uma participação no blockbuster 2012). O filme tem passado por festivais e a recepção tem sido boa:

The Hurt Locker, de Katherine Bigelow (2008)

The Hurt Locker acompanha um pequeno grupo de soldados americanos no Iraque cuja missão é desactivar bombas.
O que parece ser uma premissa simples, revela ser um dos temas do melhor filme sobre a guerra do Iraque. A realizadora mais dura de Hollywood, Katherine Bigelow, regressa à realização depois duma longa ausência (o seu último filme foi K-19, com Harrison Ford e Liam Neeson) e cria o melhor filme do género, criando sequências de verdadeira tensão, misturadas com excelentes representações (Jeremy Renner é uma grande revelação), um pouco de filosofia e uma realização arrojada.
No filme ainda temos tempo para vermos alguns veteranos da representação como Guy Pearce e Ralph Fiennes. No entanto, o grande destaque vai realmente para Jeremy Renner, o protagonista e Anthony Mackie.
Com personagens bem criadas, excelentes diálogos e cenas emocionantes, Bigelow traz-nos um dos seus melhores filmes (possivelmente o melhor), que é também um dos melhores filmes do ano. Pena que passe de forma tão despercebida entre nós. A descobrir...

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Orphan, de Jaume Collet-Serra (2009)

Um casal decide adoptar uma jovem menina, de nacionalidade russa. Depois de terem ultrapassado problemas pessoais, a família (o casal mais duas crianças) vão fazer de tudo para não pensarem no passado e fazer com que Esther, a menina adoptada, consiga integrar-se. No entanto, com o passar do tempo, descobrem que Esther não é uma rapariga vulgar... nem inofensiva.
De Jaume Collet-Serra (realizador do péssimo remake de House of Wax) chega-nos este Orphan, mais um filme sobre uma criança maléfica. Como protagonistas temos Vera Farmiga, Peter Sarsgaard e a surpreendente Isabelle Fuhrman como Esther.
Apesar da premissa mais que batida, Orphan revela-se uma surpresa provando que, por vezes, conseguimos encontrar filmes de terror americanos competentes. Vera Farmiga rouba o filme em todas as cenas em que entra, juntamente com Isabelle Fuhrman, uma excelente revelação. O secundário Peter Sarsgaard também tem uma interpretação notável e a realização de Collet-Serra revela-se competente.
O argumento de Orphan sofre de vários clichés. No entanto, devido à prestação do elenco e ao suspense bem criado pelo realizador, conseguimos ter aqui um filme competente, com uma boa dose de suspense e um twist final, sem ser forçado nem insultuoso mas sim muito bem pensado e aplicado, conseguindo dar mais sentido a cenas anteriores que por vezes poderiam parecer algo ridículas e exageradas. Os defeitos do filme são as cenas dos 'falsos sustos' (cenas desnecessárias) e o 'combate final', que acaba por ser igual a tantos outros e um pequeno balde de água fria, depois duma revelação tão bem apresentada.
Orphan é um bom filme de suspense e um bom thriller psicológico. Uma bela surpresa e um dos melhores filmes americanos de terror estreados entre nós este ano.

Antes de Dexter, vem Six Feet Under

Há cerca de três dias anunciámos aqui que Dexter iria marcar presença no nosso espaço. No entanto, antes há uma outra série a ser descoberta (no nosso caso, já que cometemos o pecado de não fazermos na devida altura): Six Feet Under.
A comédia negra de Allan Ball vai ser alvo de análisa pelo Movie Wagon, desde a primeira à última temporada.
A grande coincidência é que Michael C. Hall (Dexter) é um dos protagonistas desta série produzida pela HBO. A isto podemos dar a desculpa de querermos acompanhar a evolução de ums melhores actores da televisão actual.
Em breve começamos a nossa rubrica especial, dedicada a Six Feet Under.

Afinal...

De acordo com o site Ante-Cinema, (500) days of Summer pode ainda estrear em Portugal. A notícia foi dada pela Castello Lopes. O filme tem passado em vários festivais pelo mundo fora, sempre com excelentes opiniões, e prepara-se para passar no Festival de Cinema do Estoril. E pelo que a distribuidora disse, o filme tem muitas hipóteses de passar pelos nossos ecrãs, felizmente.
Mas quando temos uma excelente notícia, temos uma péssima: Antichrist, a nova obra polémica de Lars Von Trier já não estreia a 22 de Outubro, sendo adiado para o início de Dezembro, sem uma data certa.

Paranormal Activity - O novo Blair Witch Project

Há três semanas atrás estreou Paranormal Activity nos cinemas americanos. O filme independente (orçamento de 11 mil dólares) passou em festivais em 2007 e, desde então, ficou arrumado, sem ninguém ter-lhe tocado. Até agora, que a Paramount decidiu fazer uso do filme, criando uma forma algo invulgar de lançamento para o filme: estrear em muito poucas salas, exibindo apenas sessões da meia-noite e pedindo a quem quisesse ter o filme na sua cidade para o pedir através do site, disponível no poster e no trailer.
A sua primeira semana foi um êxito. Sessões todas esgotadas e o buzz a começar a aumentar, depois dum fantástico trailer e de vários sites de terror a considerar o filme um dos mais assustadores de sempre.

Na segunda semana o filme passa em mais salas e o sucesso aumenta. A Paramount anuncia que se houver um milhão de pedidos para que o filme seja exibido em todo o país, que o fará. No entanto, foi preciso terminar este terceiro fim-de-semana de exibição, em que o filme aumentou o número de salas para 160, para nos apercebermos do efeito que esta obra está a começar a ter: o filme, em tão poucas salas, subiu para 4º lugar da tabela e lucrou mais de 7 milhões. O buzz aumenta e a publicidade (spots de tv, etc.) estão a resultar. O quarto fim-de-semana será a prova de fogo para o filme e tudo indica que os resultados serão excelentes.

Há quem compare este caso de Paranormal Activity com o de Blair Witch Project, que teve este resultado semelhante à quase 10 anos. A crítica tem sido unânime e o público está a aderir à obra. E uma coisa é certa: estamos perante um filme sensação, que poderá marcar o género do sobrenatural.
Por cá, ainda não se sabe nada sobre estreia. No entanto, é com ansiedade que o aguardamos.

sábado, 10 de outubro de 2009

Bad Lieutenant: Port of Call New Orleans, de Werner Herzog - Novo trailer

Uns dias depois de aqui colocarmos o novo poster desta nova obra do realizador alemão (que traz Nicolas Cage de volta à sua forma), aqui temos o novo trailer, lançado hoje.

E o filme desta noite é...

Star Trek: The Motion Picture, de Robert Wise (1979)
IMDB

Trailer:


Comentário:
Star Trek: The Motion Picture traz-nos de volta as personagens da mítica série de televisão dos anos 60. Servindo de sequela à série, o filme praticamente conta com que o público que o assiste já conheça minimamente as personagens e o seu universo. No entanto, quem não está a par de tal, consegue apreciar a obra (embora seja obviamente dirigida aos fãs).
O elenco está todo de volta e são dirigidos por Robert Wise (West Side Story), um realizador mais clássico, que criar um espectáculo épico e de bom entretenimento (ao qual muito ajuda a espantosa banda-sonora do mestre Jerry Goldsmith, nomeada para Óscar). No entanto, a tentativa de Wise de fazer algo grandioso acaba por prejudicar o argumento do filme, criando uma história algo falhada. O fascínio de Wise pelos efeitos especiais (da autoria da Industrial Light & Magic, que estava no seu início, depois de Star Wars) é visível, já que temos várias sequências algo longas onde podemos, de certa forma, ver esse fascínio que o realizador teve na altura. E tal fascínio também ajuda a prejudicar o argumento, infelizmente.
No entanto, Wise consegue ainda assim criar um bom filme de Ficção Científica, proporcionando uma boa dose de entretimento e dá-nso a hipótese de voltarmos a ver personagens tão fantásticas como Kirk, Spock, entre outros.
Star Trek: The Motion Picture é um excelente início cinematográfico para esta saga e um blockbuster.

He's coming...

Em Breve, Dexter vai marcar presença no Movie Wagon.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

E o filme desta noite é...

The Thing, de John Carpenter (1982)
IMDB

Trailer:


Comentário:
Em 1982, dois filmes foram bastante prejudicados pelo enorme sucesso de E.T. - The Extra-Terrestrial: Blade Runner e este The Thing, de John Carpenter. EStrearam os dois no mesmo dia e foram ambos fracassos de bilheteira e de crítica. No entanto, com o surgimento do VHS e através das exibições na televisão, ambas as obras foram redescobertas e são, hoje em dia, duas das maiores obras de culto do cinema.
Para quem segue este nosso blog (e o seu blog irmão, Horror Icons, de momento numa fase de hibernação, enquanto pensamos muito bem num bom rumo a dar ao blog), sabe que esta é uma obras predilectas por esta casa. E é sempre um prazer rever este filme de Carpenter (um dos nossos realizadores favoritos), um brilhante estudo sobre a paranóia, o medo e que é considerado, por muitos, a melhor crítica política do cinema.
Baseado num conto que originou um dos clássicos da Ficção Científica da década de 50, The Thing From Other World, John Carpenter criou este remake (mais fiel ao conto original) e trouxe-nos um dos melhores filmes do género. Carpenter aliou-se a Kurt Russell uma vez mais, acompanhados por um elenco bastante competente e apresenta-nos um estudo cuidado e extremamente eficaz sobre a paranóia, o ser humano, o medo e os seus efeitos no homem. No meio de tudo isto, temos uma inteligente crítica política disfarçada de F.C. de terror. Os efeitos são soberbos (ainda credíveis nos dias de hoje, de melhor qualidade que muito CGI que por aí anda), a banda-sonora é um dos trabalhos mais sombrios do mestre Ennio Morriconne e o ambiente de suspense e tensão criados por Carpenter e companhia são fascinantes.
Um dos melhores filmes do género, um clássico do cinema e um dos grandes filmes de culto de sempre. Obrigatório.

The Lovely Bones, de Peter Jackson - Poster

Uns meses atrás, colocámos o primeiro trailer desta nova obra de Peter Jackson, um trailer bem construído e que faz com que o filme seja um dos filmes de visionamento obrigatório no início do ano que vem (entre nós estreia no início de 2010).
Hoje trazemos o poster e a expectativa continua a aumentar. É um poster simples mas bem criado.

E o filme desta noite é...

The Shining, de Stanley Kubrick (1980)IMDB

Trailer:


Comentário:
Uma pequena família vai para um hotel, numa altura em que este fecha durante a época de Inverno. Com a função de tratarem do hotel enquanto este permanece fechado, os três apercebem-se de que algo de estranho está a acontecer.
Baseado num conto de Stephen King (que veio a público dizer que não gostou do filme em, a meio da década de 90, escreveu e produziu uma mini-série com o mesmo título, servindo de resposta a esta obra) e escrito e realizado pelo mestre Stanley Kubrick, The Shining é uma verdadeira obra-prima do terror e do cinema. Jack Nicholson é assustador e perturbador e Shelley Duvall é a mulher aterrorizada, sendo ambos dirigidos de forma magistral pelo mestre Kubrick. Quanto à realização, esta é exemplar e realmente formidável, com excelentes planos (o cuidado pela imagem de Kubrick é fenomenal), a montagem de imagem e sonora (as fantásticas sequências do triciclo) e Kubrick cria, com uma ajuda fundamental da banda-sonora, um ambiente pertubador e arrepiante. Todos estes aspectos e muitos mais acabam por trazer uma obra fundamental do terror.
Na altura da sua estreia, o filme falhou nas bilheteiras e a crítica foi dura com o filme (foi nomeado para dois Razzies, numa tentativa óbvia da associação ganhar destaque, de forma descarada, como ainda hoje o faz). Foi com o passar dos anos que a obra foi reavaliada e reconhecida, como deveria ter sido desde o início.
The Shining é mais uma obra do génio que era Stanley Kubrick e é um filme obrigatório e que requer vários visionamentos, conseguindo tornar-se (tal como quase todas as obras de Kubrick) num objecto de estudo.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Adrien Brody em Predators!

Adrien Brody, vencedor do Óscar de melhor actor em O Pianista (de Roman Polanski) vai ser um dos protagonistas de Predators, o 'reebot' da saga iniciada por John McTiernan e Arnold Schwarzenegger. Robert Rodriguez é o produtor do filme e Nimrod Antal (Vacancy) é o realizador. O filme entra em produção ainda este ano, com estreia agendada para Julho de 2010. Pessoalmente, a notícia é surpreendente pois acaba por ser invulgar ver um actor como Brody numa produção série B e que é considerada, por muitos, como um filme inferior. A meu ver, este poderá não ser o caso e talvez tenhamos aqui uma bela surpresa.

Bad Lieutenant: Port of Call New Orleans, de Werner Herzog - Novo poster

Esta semana surgiu este novo poster de um dos novos filmes de Werner Herzog. Este Bad Lieutenant não é, de acordo com o cineasta, um remake mas sim uma reimaginação do filme de Abel Ferrara. O filme tem sido muito bem recebido pelos festivais por onde passou e Nicolas Cage tem aqui o seu papel mais arriscado (e aclamado) dos últimos anos (diz-se ser uma representação exagerada e hilariante mas muito boa, um excelente regresso à sua boa forma). Ao lado de Cage temos Eva Mendes e Val Kilmer. Por cá ainda não tem data de estreia.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

E o filme desta noite é...

Surveillance, de Jennifer Lynch (2008)
IMDB

Trailer:


Comentário:
Uma menina, uma rapariga e um polícia vão ser questionados pelo FBI após um terrível acidente. Os três terão de reviver o drama que passaram, de forma a poderem descobrir os responsáveis.
Surveillance, que esteve presente em Cannes em 2008, é a segunda longa-metragem de Jennifer Lynch, filha de David Lynch (que é produtor executivo do filme), vários anos após a sua fracassada estreia na realização com Boxing Helena. O filme trata-se dum thriller violento e perturbador, com vários toques de humor negro e com alguns momentos algo lynchianos. No entanto, esse tom pode por vezes não resultar tão bem como seria de esperar. O argumento, apesar de ser algo previsível (pelo menos, na nossa opinião), está bem conseguido, apresentando um twist final, surpreendente em alguns aspectos. O pequeno elenco é encabeçado por Julia Ormond e pelo muito subestimado Bill Pullman, ambos em excelente forma.
Surveillance é um filme que divide opiniões. No entanto, revela ser um bom trabaloh de Jennifer Lynch, redimindo-se do seu filme anterior. Um filme que vale a pena descobrir.

Falta de tempo...

Primeiro, gostaríamos de pedir desculpas pela falta do semanário a semana passada. O tempo tem sido pouco e foram poucas as oportunidades de aqui colocar algo neste espaço (nem sequer de ver Black Book, de Paul Verhoeven). Portanto, este fim-de-semana vamos criar um semanário maior do que o habitual, onde vamos dar as notícias das últimas duas semanas (muitas delas já estão vocês, caros visitantes, a par). Pelo facto, pedimos desculpas e vamos lá voltar ao ritmo de 'postar' normal.

Obrigado e cumprimentos.

sábado, 3 de outubro de 2009

Trailers: Up in the air; Shutter Island; Fantastic Mr. Fox; The Crazies; The tooth fairy

Infelizmente, hoje não nos foi possível o semanário (ficará para este fim-de-semana), portanto compensamos os nossos visitantes com uma fornada de trailers lançados nestes últimos dias.

Começamos com o novo trailer de Up in the air, o muito aclamado filme de Jason Reitman, com George Clooney, Vera Farmiga e Jason Bateman. O filme estreia entre nós no ano que vem e nos Estados Unidos foi agora adiado para Dezembro. É de referir que o trailer poderá revelar coisas a mais sobre o filme. Fica ao vosso critério (por aqui, decidimos não ver):


E agora, apresentamos o novo trailer de Shutter Island. O thriller de Martin Scorsese marca a quarta colaboração com Leonardo DiCaprio. Infelizmente o filme, que inicialmente tinha data de estreia agora para Outubro, foi adiado para Fevereiro (razões totalmente ridículas por parte da Paramount), portanto só podemos ver esta nova obra do mestre daqui a uns meses:


E agora o novo trailer de Fantastic Mr. Fox, de Wes Anderson. O filme é animação Stop-motion e tem as vozes de George Clooney, Meryl Streep, Anjelica Huston, Bill Murray, Jason Schwartzman, Willem Dafoe e Owen Wilson. Tinha data de estreia entre nós para o início de Novembro mas foi agora adiado para Janeiro:


E agora, um pouco de terror. The Crazies é o remake do filme de George A. Romero, com o mesmo título. Timothy Olyphant é o protagonista desta nova versão. O filme estreia em 2010 e o trailer está bem conseguido:


The Tooth Fairy é uma nova comédia com Dwayne 'The Rock' Hudson. Ao seu lado temos nomes como Ashley Judd e Julie Andrews. Estreia em 2010:

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

E o filme desta noite é...

Zwartboek - Black Book, de Paul Verhoeven (2006)
IMDB

Trailer:


Regresso de Paul Verhoeven à Alemanha com este thriller passado na 2ª Grande Guerra. Vencedor do prémio de Melhor Filme no Festival de Veneza em 2006, o filme revelou Carice Van Houten ao mundo (depois participou em Valkirye, ao lado de Tom Cruise) e mostrou de novo que Verhoeven ainda tem o que é necessário para fazer um excelente filme. Amanhã, comentamos...

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

O teaser do semanário desta semana...

Amanhã vamos apresentar o nosso habitual semanário de cinema. A prisão de Roman Polanski e o destino do seu novo filme, o destino de Johnny Depp na saga de Pirates of the Caribbean, o cancelamento da pré-produção de Halloween 3D por parte da The Weinsteins Company e alguns dos novos filmes a entrar brevemente em produção são algumas das notícias de amanhã. Cá estaremos...

E o filme desta noite é...

Twin Peaks: Fire Walk With Me, de David Lynch (1992)IMDB

Trailer:


Comentário:
Hoje regressa a nossa rúbrica, depois do visionamento na íntegra da série Twin Peaks. E depois de tal inesquecível viagem, teríamos de começar com o filme que serve de prequela. No entanto, a obra de David Lynch só deverá ser vista depois da série, de forma a evitar spoilers.
Twin Peaks: Fire Walk With Me é dividido em duas partes: a investigação inicial dum agente do FBI sobre a morte de Theresa Banks (referida na série). A segunda parte é dedicada aos últimos sete dias de vida de Laura Palmer, cuja morte causa todos os eventos que vimos na série.
Para quem está à espera de algo semelhante à série, fica iludido. O aspecto soap-opera desaparece e temos aqui um produto tipicamente Lynchiano, tudo dentro do universo apresentado na série mas levado a limites nunca antes vistos. No entanto, várias respostas são dadas (e muitas outras perguntas colocadas, ao bom estilo do cineasta)e chegamos à conclusão de que Laura Palmer é uma figura trágica, cuja morte violenta revela ser um tipo de libertação.
O filme esteve presente no Festival de Cannes e não foi bem recebido. Para além disso, os resultados de bilheteira não foram bons e o desejo de Lynch em criar uma trilogia foram postos de lado. Pessoalmente, trata-se duma excelente obra de Lynch e uma grandiosa adição à série. Um filme que merece ser (re)descoberto e uma obra do qual é difícil falar sem revelar demasiado (tal como a série). Fundamental.

Twin Peaks, criada por Mark Frost e David Lynch (1990/1991)

Na pequena cidade de Twin Peaks, num dia de manhã cinzento, um corpo é encontrado, coberto por plástico. è Laura Palmer, uma jovem rapariga, filha dum advogado. Laura foi brutalmente assassinada e as pistas são imensas e os suspeitos ainda mais. Enquanto a sua morte afecta a cidade, um agente do FBI ajuda a polícia local a desvendar a verdade. Mas há algo que paira sobre a cidade...
Twin Peaks é um produto saído da mente de David Lynch. Tal pode ser comprovado pelo seu excelente episódio piloto, simplesmente um dos melhores trabalhos alguma vez feitos para televisão. No entanto, o resto da série é de uma qualidade invulgar para um produto televisivo e trata-se dum projecto invulgar (à lá Lynch), especialmente para um canal de televisão de canal aberto (CBS), revelando ser um dos projectos mais arriscados e alternativos da televisão.
Podemos dizer que tudo o que vemos e ouvimos na primeira temporada é perfeito. Tratam-se de episódios feitos com um cuidado especial, com diálogos e argumentos fantásticos. O ambiente criado para Twin Peaks é algo de soberbo: sombrio, arrepiante e perturbador: elementos essenciais para a trama da série, trama essa muitíssimo bem tratada e desenvolvida.
As personagens são fantásticas, onde destacamos o grande Dale Cooper (agente do FBI que não faz parte da cidade e, por algum motivo, apaixona-se pela região mais do que os seus habitantes) que forma uma parceria com o sheriff Harry S. Truman.
A segunda temporada começa de forma genial mas acaba por perder-se um pouco, após a resolução de um aspecto importante na trama. Nessa altura, a série arrasta-se, criando situações algo desnecessárias e fazendo com que a série perca o seu ritmo e alguma da sua qualidade inicial. No netanto, tudo é recompensado nos episódios finais, onde destacamos o final, algo que deixa qualquer um sem palavras. Um dos melhores finais de sempre.
Twin Peaks é uma série única, inovadora e de grande influência. Nunca houve uma série como esta e nunca haverá. Escrever um texto sobre a série é difícil, pois caímos no risco de revelarmos demais. Apenas podemos dizer que trata-se duma série de visionamento obrigatório. Várias vezes...
Uma das melhores séries de televisão alguma vez criadas.

District 9, de Neill Blomkamp (2009)

Uma nave alienígena chega ao planeta Terra e paira sobre Joanesburgo. Durante cerca de 20 anos, a nave permanece imóvel. Durante esse longo tempo, a população da África do Sul e os alienígenas começaram a conviver até surgirem conflitos. É aí que é criado o Districto 9, um local destinado apenas aos extra-terrestres e a criminosos. Até que algo vai acontecer, que poderá mudar tudo...
Escrito e realizado por Neill Blomkamp e produzido por Peter Jackson, District 9 é um filme de Ficção Científica, servindo de crítica inteligente ao regime do apartheid. No entanto, Blomkamp consegue oferecer-nos mais ainda: acção q.b., momentos poéticos e dramáticos e um argumento inteligente e extremamente bem conseguido. A sua realização é exemplar, apresentando um ritmo certo para a acção, tudo filmado em forma de semi-documentário, algo feito de forma brilhante. A nível de cenas de acção, estão muito bem executadas, fazendo corar mostrengos hollywoodescos de orçamento de 200 milhões de dólares (Transformers, rói-te de inveja), quando o seu orçamento foi de apenas 30 milhões.
Quanto a interpretações, temos Sharley Copler, o protagonista, que dá-nos um trabalho fantástico com uma personagem algo repugnante e incompetente que, à medida que a acção avança, torna-se num ser humano verdadeiro, dentro de circunstâncias que poderiam levar ao oposto. Encontramos assim um dos pontos fortes do filme e algo que poderá servir como um reflexo do ser humano.
District 9 é um excelente exemplo de Ficção Científica, dando mais um trunfo para um ano que tem sido fantástico para o género. Para além disso, é um dos melhores filmes do ano. A não perder.